Vulnerabilidade e defesa do consumidor

Compartilhe essa notícia!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Vulnerabilidade do consumidor

Você já deve ter ouvido muitas vezes alguém dizer que o consumidor é vulnerável! Mas o que isso significa? De que tipo de vulnerabilidade estamos falando? O post de hoje é sobre a vulnerabilidade e defesa do consumidor.

No Brasil, temos o Código de Defesa do Consumidor. E algo interessante é que o código é de defesa do consumidor. Isso mesmo, ele foi criado para defender o consumidor. Não é para defender o fornecedor, Não é para defender o mercado de consumo. É para defender o consumidor.

Isso foi pensado, desde 1988, quando, na Constituição da República, foi incluído como direito fundamentalque o Estado deveria promover a defesa do consumidor”.

Nesta balança jurídica, o consumidor sempre estará mais fraco diante do fornecedor, seja porque o fornecedor tem poder econômico, seja porque ele tem o poder técnico, da produção, a expertise sobre o seu produto ou o serviço oferecido no mercado.

Quando o Brasil escolheu proteger o consumidor, ele enviou uma mensagem: precisamos nos unir para protegê-lo. O texto da Constituição não escolheu apenas o consumidor como vulnerável, também escolheu outras categorias, como o idoso, a criança e o adolescente, o índio, enfim, a lei maior estabeleceu aqueles que seriam protegidos pelo Estado e a partir disso, foram criadas várias leis para que assim fosse concretizado.

É importante que saibamos dos nossos direitos. Importante que estejamos atentos à vulnerabilidade e defesa do consumidor. Embora o consumidor seja o mais fraco da relação, é ele quem possui o poder de compra e movimenta toda a economia, por isso merece ser respeitado e ouvido.

Esta é a FEBRAPO sempre preocupada com você, consumidor-poupador, trazendo conhecimento para todos.

Fechar Menu
Abrir Conversa
Olá, bem vindo(a)!

Como podemos te ajudar?