Pedido de indenização dos planos econômicos acaba dia 12; veja se tem direito

Compartilhe essa notícia!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Acordo dos Planos Econômicos está na reta final

Os poupadores interessados em se cadastrar na plataforma criada para facilitar a adesão ao acordo e solicitar o pedido de indenização dos planos econômicos dos anos 1980 e 90 só poderão fazê-lo até o próximo dia 12 de março.

Segundo a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), o portal só receberá inscrições até a data, e a inscrição é voluntária. Os poupadores que não pretendem entrar no acordo e já têm ações judiciais podem prosseguir com o processo normalmente, já que a adesão não é obrigatória. Veja mais abaixo neste texto se você tem direito.

A plataforma foi criada para tentar dar celeridade aos processos após um pacto entre as entidades envolvidas. O acordo foi firmado no fim de 2018 entre a Febraban, a Frente Brasileira dos Poupadores (Febrapo) e o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), com a intermediação da Advocacia Geral da União (AGU), e validado em março de 2019 pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Número de indenizações fica abaixo do esperado

De acordo com o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), até o final do ano passado, apenas 109.423 poupadores foram beneficiados pelo acordo dos planos econômicos. O número, contudo, ficou bem abaixo das expectativas.

A previsão era de um número maior, já que, segundo a Febraban, há mais de 1 milhão de ações e recursos de poupadores na Justiça solicitando indenização. A entidade continua a tentar divulgar o acordo ao máximo. “Além dos mutirões e das ações realizadas diretamente pelos bancos, estão sendo realizadas campanhas para informar a população sobre o funcionamento da plataforma, bem como as vantagens de aderir ao acordo”, afirmou a entidade, em nota.

De acordo com Gilberto Andreassa Júnior, mestre em Direito, a baixa adesão ao pedido de indenização dos planos econômicos ocorre pela complexidade dos cálculos e o grande desconto dado em relação à dívida. “Vale a pena? Isso fica nas mãos dos clientes, que devem analisar suas necessidades. Pessoalmente, eu considero os descontos excessivos”, afirmou Júnior.

Os descontos funcionam da seguinte forma:
Pagamentos até R$ 5 mil – 0% de desconto e pagamento à vista
Até R$ 10 mil – 8% de desconto e pagamento parcelado
Ou até R$ 20 mil – 14% de desconto e pagamento parcelado
Acima de R$ 20 mil – 19% de desconto e pagamento parcelado.

“A maneira como os cálculos sobre o valor da dívida está sendo feita é muito confusa. A falta de transparência leva à baixa adesão. Não há punição para o excesso de deságio e, por isso, poucas pessoas estão se mostrando interessadas nesse acordo”, disse o advogado.

Quem pode solicitar a indenização dos planos econômicos

Têm direito à indenização todas as pessoas que entraram com ações individuais na Justiça contra os bancos. Mas atenção, as ações devem ter ocorrido até 20 anos após a edição dos planos Bresser (1987), Verão (1989) e Collor 2 (1991). Não há indenização prevista no acordo para o plano Collor 1 (1990).

Também têm direito as pessoas que participaram de ações coletivas ajuizadas até o prazo de 5 anos do trânsito em julgado (quando não há mais possibilidade de recurso) da sentença coletiva, ou que tenham iniciado a execução da sentença coletiva até 31/12/2016, desde que respeitado o prazo de 5 anos após o trânsito em julgado da decisão favorável que permitiu a execução.

Quem não abriu processo dentro do prazo legal (20 anos após cada plano) não poderá pedir indenização, mesmo que tenha os extratos da poupança da época dos planos.

Fonte: UOL

Fechar Menu
Abrir Conversa
Olá, bem vindo(a)!

Como podemos te ajudar?